Skip to content

Livres considerações sobre a Psicossomática

25/11/2010

Ao procurarmos a definição de psicossomática, academicamente encontramos definições que por mais que expliquem, deixam muito a desejar no que diz respeito a compreensão, de fato, que tal conceito tem sobre nossas vidas. Sobretudo para aqueles que convivem com condições sintomáticas somatizadas, leia-se manifestas no corpo (de soma = corpo em grego).

Para falar da psicossomática, assunto que freqüentemente está presente no nosso cotidiano, mas do qual muitas vezes não se conhece muito, vale a pena ilustrar umas de suas principais características, a alternância psicossomática, a partir de uma metáfora.

Um simples objeto tem sido muito usado quando se pretende enfatizar a importância da coexistência de duas variáveis que se contrapõe em uma mesma situação. De fato, uma moeda presta-se muito bem a esta missão cultural que lhe foi impingida.

Suas duas faces simbolizam ao mesmo tempo uma equivalência de valor e uma obrigatoriedade de coexistência. Mesmo que dispuséssemos de um instrumento de corte preciso o suficiente para seccionar a referida moeda transversalmente pelo seu exato meio, ela imediatamente perderia seu valor monetário, poderia até ganhar em valor a título de curiosidade, como uma caricatura ou algo semelhante, mas seu valor de referencial de troca financeira estaria aniquilado.

Esta breve introdução não é por outra razão a não ser pelo necessário contingenciamento do foco deste texto, doenças alérgicas e seu fator psicossomático, em sua característica de duplicidade de fatores que em muito nos faz lembrar das duas faces da (mesma) moeda.

Não há a pretensão de discorrer demoradamente sobre o tema, tampouco há espaço para abordar-lo com o (diga-se de passagem, necessário mesmo) embasamento teórico às duas categorias de fatores influentes na doença alérgica.

Pretendo no máximo uma sensibilização no sentido de que o olhar despendido ao quadro manifesto pelo cliente alérgico exige uma extensão de seu alcance, açambarcando fatores de ordens diferentes, mas que como em uma moeda devem coexistir para que a abordagem, médica ou psicológica, não se transforme em uma caricatura.

Em “Psicoimunologia Hoje”, Julio de Mello Filho faz uma citação que é a que mais me mobilizou e que está, de fato, na hermenêutica deste breve trabalho.Relatando os estudos de Jacobs (1966) com 41 pacientes alérgicos em geral, o autor destaca como uma das conclusões deste trabalho:

“… encontraram em 75% dos casos ser necessária a presença de ambos os fatores para que a sintomatologia eclodisse (asma). Quando a predisposição somática era pequena e o fator psicológico intenso, o paciente apresentava sintomatologia neurótica. Porém, quando ambos eram prevalentes, os sintomas alérgicos constituíam a regra.” Pág 126 – parênteses e grifos meus.

Tal conclusão levanta uma reflexão que julgo ser de primeira importância. Creio que os dados apresentados corroboram antes de tudo com o mecanismo da alternância psicossomática uma vez que fica aí caracterizada a existência de uma coincidência na gênese do problema que ora manifesta-se pela via somática, ora pela via psicológica dependendo dos fatores subjetivos e contingências presentes no caso.

Mas o mais importante de tudo é a questão de que a interação os fatores de ordens diferentes tem uma influência determinante na forma da manifestação da doença.

Pacientes onde havia a predominância de fatores psicológicos tem uma clara tendência (baseado nos resultados da pesquisa) a manifestar o problema por esta mesma via, através de sintomas neuróticos. Ou seja, podemos inferir a título de hipótese que os fatores de ordem psi são fundamentais, mas só irão desembocar na via somática de sintomas em havendo uma predisposição também somática para tal e, neste caso, esta via passa a ser a regra.

Isto é de fundamental importância visto que extensas pesquisas com organismos inferiores dão conta de explicar os processos de hipersensibilização, gatilhos, substâncias mediadoras, histamina e seu poder inflamatório, etc, tal conhecimento em toda a sua complexidade faz parte de um patrimônio científico incontestável e que não pode, num rompante de predisposição de psicologização de tudo, ser relevado a um segundo plano.

Tratam-se de dois planos de igual importância, um não existe sem o outro … em um processo de alternância dinâmica de suas preponderâncias contingências, estão influenciando um organismo uno, integro e que se compõe de uma mente e um corpo ou é uma mente/corpo ou um corpo/mente.

Uma abordagem holística deste sujeito que manifesta sintomas alérgicos é, a meu ver, a única via de uma pretensa identificação mais eficaz a cerca de suas causas.

Uma abordagem eminentemente fisiológica desconsiderando fatores psicológicos e, ao contrário, uma tendência à psicologização do quadro relevando a um segundo plano a predisposição somática necessária para que aquilo ocorresse, são ambas caricaturas e abordagens tacanhas de um todo que não está sendo entendido como tal, por uma também limitada ciência.

Acredito haver a possibilidade, e por que não dizer a necessidade, de escarafunchar ainda mais profundamente … como alguém que, uma a uma, descasca uma cebola sempre encontrando um nível mais profundo, que por sua vez esconde outro, etc.

Não seria a predisposição somática mesma também uma fator desencadeado em algum momento na história da vida deste sujeito por fatores da ordem psi ? Seria a genética ou as mutações ou qualquer outra ordem de acidente puramente fisiológico suficiente para explicar as diferenças estruturais que moldam a predisposição somática entre os indivíduos ?

Sem falsas pretensões, deixemos estas perguntas por hora sem resposta, mas que pelo menos façam parte do referencial de assuntos a serem melhor pesquisados …

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: