Skip to content

Consumo de maconha aumenta risco de doenças psíquicas, diz estudo

03/03/2010

O consumo de maconha de alta potência diariamente aumenta em até seis vezes o risco de sofrer uma doença psicótica, diz artigo científico publicado na terça-feira (1º) e que tem como coautor o português Tiago Reis Marques.

“O uso diário de uma maconha mais potente aumenta em até seis vezes o risco de uma doença psicótica, como esquizofrenia ou outras semelhantes”, explicou o psiquiatra dos hospitais da Universidade de Coimbra, que faz doutorado em Londres.

No Instituto de Psiquiatria de Londres, o português participa do estudo “Genetics and Psychosis” (“GAP – Genética e Psicoses”), cujos resultados foram parcialmente publicados ontem, na edição de dezembro do “British Journal of Psychiatry”.

O pesquisador, de 33 anos, ressaltou, porém, que a maconha “não é uma causa em si”, mas antes um fator de risco e um estopim para uma doença mental grave.

“Em pessoas que, com outros fatores de risco associados, como genéticos ou sociais, estejam em risco aumentado, [o consumo] é um fator precipitante para a esquizofrenia”, disse.

Há muito que as pesquisas analisam as causas das psicoses, expressamente sobre fatores genéticos ou sociais e consumo de drogas. A novidade deste estudo é a comprovação de que a potência da maconha consumida e a frequência de seu uso aumentam até seis vezes o risco de apresentar doença psicótica.

Maconha geneticamente modificada

O pesquisador português explica que, atualmente, a maconha geneticamente modificada, originária da Holanda e de outros países e preferida por vários usuários comuns, tem de 12% a 18% de THC –substância que provoca sintomas como desinibição–, quando antes continha apenas 2% a 4%.

As “óbvias implicações para a sociedade” incluem olhar para a maconha “não como uma droga somente leve, mas como uma droga que potencia e aumenta o risco de doença mental grave”, considerou o pesquisador.

O passo seguinte da equipe do pesquisador será perceber como a maconha atua no cérebro para que surjam sintomas psicóticos (delírios, paranoia, alucinações, sintomas de perseguição) e como a droga se combina com fatores genéticos.

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. Marco Antônio permalink
    31/10/2015 01:52

    Olá meu nome é Marco Antônio fumava maconha frequentemente há 7 anos, nos ultimos 5 meses venho tendo sensações horríveis quando fumo, apenas fumo 1 por mês sozinho pra ver se consigo controlar mas fica cada vez pior.
    Tudo começou após experimentar o “md cristal” em uma festa, apesar de sempre frequentar esse tipo de festa nunca tive esses sintomas, desde o dia que surgiu essas paranóia, mesmo quando não fumo, fico com espasmos na nuca e nas pálpebras me distanciei dos amigos fico mais isolado pois perceberam que minha cabeça fez movimentos involuntários e isso me deixou muito constrangido.
    Fui em alguns médicos todos foram super ignorantes não deram muita atenção se tiver alguma coisa que eu possa fazer para voltar a normalidade vou ser eternamente grato e não pretendo mais fumar porque estou com medo de ter desenvolvido algum doença psicológica.
    Caso tenha whats adoraria conversar se eu conseguir resultados no meu objetivo estou disposto a pagar, obrigado pela atenção.
    Marco A. De Andrade fone: 04195819699

    • Flávio Mesquita permalink*
      11/11/2015 14:55

      Olá Marco,

      Seu compartilhar é muito semelhante à situação vivida por um número enorme de usuários que passam a se conscientizar, muitas vezes pela via mais difícil, do mal em potencial causada pela maconha, tida como uma droga “leve”, “recreativa”, “que faz menos mal que o cigarro” e blá-blá-blá…

      Sugiro a vc que se mantenha firme na decisão de não mais usá-la e procure um psicólogo que pode te acompanhar nesse processo de reconquista de segurança. Esse atendimento precisa, a meu ver, ser presencial.

      Espero que tenha uma boa evolução na sua condição, ok ?

      Até,

  2. 16/05/2011 01:17

    And I thought I was the sensible one. Thanks for setting me straight.

    E eu pensava que fosse o sensível. Obrigado por me fazer ficar sóbrio.

    [Tradução livre pela moderação]

    • Flávio Mesquita permalink*
      16/05/2011 08:56

      Thank you for participating in the BLOG.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: