Skip to content

É preciso mesmo QUERER lavar a louça ?

01/03/2010

Como é ? Que loucura é essa agora ? Bem, como Jack, o Estripador, vamos por partes …

Primeiro, é preciso contextualizar da onde vem esse insight, para que possa fazer algum sentido: cena do filme Separados pelo casamento (The Break-up – 2006) com Jannifer Aniston e Vince Vaughn.

Aos críticos de plantão, sim é apenas uma comédia romântica, mas pode gerar um bocado de material para reflexão, se formos capazes de suspender as alegorias holliwoodianas e perceber o quanto  de verdade sobre relacionamentos há nas várias tiradas ao longo do filme.

Para quem não assistiu, veja esse pequeno recorte (sem legenda , infelizmente) tendo em mente que se trata de um jovem casal vivendo um momento de crise que os leva a questionar a sustentabilidade de seu casamento, pelo já alto grau de desgaste que ambos sentem :

.

.

Em uma interpretação livre, o que resumidamente se passa na cena em questão é que a esposa, em um esforço de promover um momento romântico e reconciliatório no casal, se esmera em preparar um jantar especial. Tudo corre bem até que ao final do jantar, lhe parece justo e até mesmo óbvio que o marido se disponibilize para lavar a louça.

Acontece que vai ser transmitido algum evento esportivo que é do interesse deste, e então ele diz que irá lavar a louça depois. Isso gera toda uma discussão e, já abandonando a idéia de assistir o jogo, ele diz :

.

– Está bem ! Eu lavo a louça …

– Eu não quero isso …

– Mas você acabou de dizer que quer que eu lave a louça !

– Eu quero que você QUEIRA lavar a louça !

– Por que eu iria QUERER lavar a louça !?

.

Pronto. Chegamos onde eu queria. Por que alguém em sã consciência, após um jantar agradável e tendo a transmissão de um jogo na TV para começar ia QUERER lavar a louça ?

Nesse momento, é preciso exercitar a empatia em ambos os sentidos … coisa que nem sempre é fácil no calor das situações em que o cotidiano insiste em nos lançar com tanta recorrência numa relação a dois.

Para a mulher, parece justo e óbvio que depois do esforço feito por ela ao preparar o jantar, que o marido QUEIRA lavar a louça como sinal de apreço, respeito, valorização do movimento feito por ela, ou quem sabe um sinal do grau de comprometimento do parceiro para com a relação … e ela está CERTA !

Para o homem, parece absolutamente compreensível que, como está para começar um jogo importante para ele na TV, que ele deixe para a lavar a louça depois e isso não significa desvalorização do evento promovido pela esposa, na verdade ele curtiu o momento, ao jeito dele … e ele também está CERTO !

Percebe ? Muitas vêzes (na maioria, eu diria !) não se trata de descobrir quem está certo ou errado. Não se trata, tampouco, de culpabilizar e sim de responsabilizar, no sentido de estar apto para responder pelas consequências.

Um bom processo terapêutico nunca irá culpabilizar, pois esse movimento embota, é imobilizador e gera ranso, dificultando ainda mais o movimento no sentido da melhora. O caminho é o da responsabilização, habilitando o sujeito (ambos, no caso de um casal) a perceber toda a rede de variáveis envolvidas na situação.

Por exemplo: o jantar foi preparado justamente no dia do evento esportivo e, por mais que a mulher não soubesse disso, isso não a habilita a exigir que o marido abra mão dele para QUERER lavar a louça exatamente no único momento que faz sentido para ela.

Mas por que não haver uma negociação assertiva (há muito material sobre assertividade no BLOG, faça uma pesquisa) entre ambos sobre quem e quando essa louça poderia ser lavada e, principalmente, sem lançar uma sombra depreciativa em todo o contexto edificado previamente.

Importante dizer que no caso aí da cena do filme, foi lançado mão de um clichê estereotipando os papéis típicos dos gêneros dentro do casal, mas esse tipo de problema é indistintamente protagonizado por homens e mulheres dentro de suas relações na vida real … atire a primeira pedra quem nunca se viu imerso em situação semelhante !

E você(s) como estão conseguindo lidar com situações que exigem empatia e assertividade no dia a dia de suas relações ? Faça comentários !



Anúncios
8 Comentários leave one →
  1. Aparecida Beatriz Capretz Agy permalink
    09/07/2010 11:26

    Olá , descobri esse site hoje, navegando…adorei!

    É sempre bom ler textos que me faz refletir e me ajudam melhorar e a me entender melhor.

    Já assisti esse filme e vejo que ja procedi de maneira semelhante, não exatamente no caso de lavar a louça, mas achar que as coisas devem ser realizadas pelas outras pessoas quando achamos que é conveniente para nós,devemos estar atentos e olhar o outro,entender seu ponto de vista.

    até.
    Bia

    • Flávio Mesquita permalink*
      11/07/2010 21:43

      Olá Aparecida,

      Obrigado por sua participação. Essa tomada de consciência a partir de qualquer fonte, seja um filme, um livro, um texto ou compartilhando com outra pessoa ajuda muito na constante aprendizagem que é a nossa experiência de relacionar-se com outras pessoas.

      Continue contribuindo para o nosso BLOG !

      Abç

  2. Ingrid Pinheiro permalink
    23/05/2010 13:24

    Nossa, adorei o artigo! É a primeira vez que acesso o blog, e concerteza voltarei mais vezes … Achei bastante interessante os textos.
    Quanto a este artigo especificamente, concordo plenamente com o que foi dito, e até acho que se esse texto fosse mais divulgado poderia ajudar muitos casais que concerteza passam por situações iguais ou semelhantes, e que acabam entrando em conflito, sem nem se quer “meditar” e analisar depois as consequencias de certas atitudes, o que consequentemente acaba gerando um desgaste no relacinamento…

    • Flávio Mesquita permalink*
      23/05/2010 21:20

      Olá Ingrid,

      Voce fez a conexāo perfeita : uma fórmula ao mesmo tempo simples e poderosíssima no ajuste saudável das relaçōes inter-pessoais, pena que nem sempre as pessoas conseguem colocá-la em prática …

      Volte sim e sempre ! E já que vc acha que o artigo vale a divulgação, nos ajude sugerindo a leitura a seus amigos !

      Obrigado pelagic participação !

  3. Thânia permalink
    03/03/2010 09:48

    Oi Flávio… Adorei… Realmente tem muita coisa semelhante com que eu estou passando agora…
    Estou tentanto cumprir a parte da assertividade, embora muitas vezes seja difícil…
    Gostei muito desse texto…

    • Flávio Mesquita permalink*
      03/03/2010 09:56

      Oi Thânia, realmente eu tinha o sério palpite de que esse texto iria contemplar muito do processo de vcs, mas o consolo é que nem de longe vcs estão sozinhos nisso … muita, mas muita gente passa por isso e pelo menos vcs fizeram vários movimentos bastante produtivos e o prognóstico é super positivo !

      Abç

      • Silvano Batista da Silva permalink
        02/06/2010 17:00

        Simples e objetivo. Complexo de se por em prática. Parece que somos movidos defender tão somente objetivos pessoais, mas como não somos ilhas “embora estejamos ilhados num corpo” precisamos de fato aprender administrar os momentos importantes do nosso viver fazendo. Mas fácil falar que fazer. Mais fácil errar que acertar.
        Parabens

      • Flávio Mesquita permalink*
        02/06/2010 22:14

        Pois é Silvano …

        Realmente é mais fácil de entender do que por em prática e, com certeza, mesmo se esforçando é bem provável que hajam “recaídas”, mas sem dúvida quanto mais consciente for o processo, maior são as chances de sucesso.

        Obrigado pela participação e continue contribuindo !

        Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: