Skip to content

Matéria sobre stress e trabalho da Globo.com (com vídeo)

15/12/2009

Saiba se você está trabalhando demais e o que fazer para reverter o quadro. Reorganizar a rotina e ter uma conversa com a chefia podem ajudar. Qualidade de vida envolve equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

CLIQUE qui e assista o vídeo sobre a matéria

Você costuma ficar horas além da jornada na empresa, fala sobre o seu trabalho o tempo todo, mesmo nos dias de folga e em momentos de lazer, tem sintomas como dor de cabeça, insônia, perda de memória, ansiedade, depressão, irritabilidade e sensação de falta de energia? Esses podem ser indícios de que você está trabalhando demais.

E especialistas alertam: somente se dedicar ao trabalho e não cuidar dos relacionamentos com a família e amigos e com o desenvolvimento pessoal pode levar à baixa produtividade no trabalho, exaustão e ao adoecimento. E a solução, segundo eles, não é necessariamente mudar de emprego, mas reavaliar prioridades e estabelecer metas diárias que possam ser cumpridas dentro do horário de expediente. Além disso, ter uma conversa franca com a chefia também pode ajudar a reverter o quadro.

De acordo com o médico Alberto Ogata, presidente Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV), muitas vezes o funcionário percebe que tem que trabalhar muitas horas, com prazos curtos e tem a percepção de que está sempre com tensão e sob pressão. “Não tem tempo para se encontrar com os amigos, praticar atividade física, ter refeições nos horários corretos ou mesmo ir ao médico para uma avaliação anual”, diz.

O médico diz que os sintomas mais comuns do excesso de trabalho são dores de cabeça, cansaço, dor nas costas e na nuca, insônia, perda de memória, hipertensão, ansiedade, depressão, irritabilidade e sensação de falta de energia.

Para Glaucia Santos, consultora de recursos humanos da Catho Online, o primeiro indício de que o profissional está trabalhando demais e o mais fácil de ser identificado é dado pelo tempo que o profissional permanece dentro da empresa. “Não é difícil encontrar profissionais que ficam de 3 a 5 horas além de seus horários nas empresas para dar conta de suas atividades. Além disso, é comum que a pessoa fale sobre o seu trabalho o tempo todo, mesmo aos finais de semana ou em momentos de lazer”, diz.

Ela diz que numa situação como essa é necessário ser franco com a chefia, informando o volume de atividades e o tempo gasto para a realização de cada uma delas. “Essas informações são essenciais para que o gestor verifique a necessidade de contratar outros colaboradores ou mesmo redistribuir as atividades entre os membros da equipe”, diz.

Segundo ela, quando a pessoa identifica que está excedendo seu tempo de trabalho, é importante reavaliar as suas prioridades e estabelecer metas diárias que possam ser cumpridas dentro do horário de expediente. Ela afirma que o chefe deve ser informado sobre esse procedimento. “Mas o empregado deve ressaltar que essa iniciativa não prejudicará seu rendimento no trabalho, pelo contrário, contribuirá para que seu rendimento e disposição sejam ainda maiores”, diz.

Organização

Para Cleo Wolff, consultora da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), o primeiro sintoma do excesso de trabalho é o cansaço do ponto de vista físico e a desmotivação do ponto de vista psicológico. “O foco que antes tínhamos em relação às nossas metas se torna mais difuso, e as decisões passam a ser mais difíceis”, explica.

Cleo diz que o funcionário deve ter consciência de que não suportar a carga horária não é sinônimo de incompetência profissional. Por isso, não deve pensar que precisa mudar de emprego, e sim refazer seu cronograma de trabalho.

“Naturalmente, há momentos em que se exige maior dedicação, inclusive de tempo, por exemplo, para a conclusão de projetos especiais, mas isso não deve se transformar em uma rotina. Muitas vezes, a solução está no planejamento e organização do trabalho e o estabelecimento de prioridades”, diz Ogata.

O médico, autor do livro “Guia Prático de Qualidade de Vida”, diz que a busca da qualidade de vida envolve o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. “As pessoas devem ter tempo para si mesmas e isso deve ocupar um espaço na agenda e não ser relegado a um horário livre”, afirma.

Veja mais dicas da ABRH e ABQV:
Ao sentir que o tempo livre está sendo tomado pelos compromissos profissionais, é hora de dizer “não”, como adiar reuniões, cancelar encontros e não levar trabalho para casa.
Concilie trabalho com vida social, exercícios físicos, alimentação adequada e férias.
Refaça seu cronograma de trabalho refletindo se não está fazendo muitas atividades operacionais, sem tempo de refletir no significado delas, e se o trabalho em demasia não faz com que você perca o foco do desenvolvimento profissional.
Reconhecer a estafa e que está passando dos limites é o primeiro passo para não perder o controle. Em alguns casos é necessária uma pausa.
Muitas doenças podem ser evitadas se o pé for tirado do acelerador no momento certo. Isso significa aprender a viver com imperfeições e incapacidades.
Fontes: Associação Brasileira de Qualidade de Vida e Associação Brasileira de Recursos Humanos

.

acessado em http://g1.globo.com/Noticias/Concursos_Empregos/0,,MUL1414770-9654,00-SAIBA+SE+VOCE+ESTA+TRABALHANDO+DEMAIS+E+O+QUE+FAZER+PARA+REVERTER+O+QUADRO.html

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: