Skip to content

Lutar ou Fugir ? Eis a questão…

05/10/2009

Ora, nem um nem outro! Mas vamos construir juntos a perspectiva de alternativa melhor.

Primeiro é preciso entender que estas duas alternativas são as que se apresentam a nós quase que instintivamente. Já fizemos várias referências ao mecanismo de luta ou fuga em outros textos (Falando sobre stress… e O poder da respiração), mas é bom lembrar que lutar ou fugir são os dois comportamentos que foram amplamente reforçados no repertório do ser humano desde o tempo dos homens das cavernas.

Frente a uma situação de perigo, digamos um tigre-dentes-de-sabre que teima em te ver como almoço, você tinha duas alternativas possíveis. Enfrentar o bicho com os recursos que dispuser… no braço, como uma lança ou uma machadinha: a luta. Ou tentar frustrar os planos do bicho fazendo uma “saída de cena” o mais rápido possível: a fuga.

Paradoxalmente, por mais que estejamos imersos em um ambiente regido pela racionalidade e por regras de convivência que pretendem contemplar o bom relacionamento entre os seus iguais, o homem continua respondendo a situações de perigo iminente, até certo ponto, da mesma forma que seu antepassado prestes a ser devorado pelo tigre…

Reflita sobre as suas reações a situações corriqueiras como um bate-boca com seu companheiro, uma fechada no trânsito ou ser flagrado pelo chefe fazendo algo que não deveria no horário de serviço. Como seu corpo reage? Seu coração bate mais rápido? Sua respiração fica mais ofegante e “alta”? Você sente sinais de suor frio e bolo no estômago?

Se você respondeu sim a várias (ou todas) as perguntas, isso significa que você é exatamente igual a todo mundo: desencadeia o mecanismo de luta ou fuga frente a situações estressantes e o seu organismo faz sua “lição de casa” se preparando para a ação que deveria acontecer logo depois… deveria, pois acontece que ela muitas e muitas vezes simplesmente não acontece!

Isso mesmo: ela não acontece. Porque não é sempre que você pode fazer a ação esperada pelo mecanismo automático de luta ou fuga. Seria algo parecido com pular no pescoço do chefe ou jogar tudo para o alto e sair correndo pela porta! Daí o seu organismo tem de lidar com a descarga de adrenalina que aconteceu previamente e que se tornou inútil, pois você terá de lidar com a situação mediada pela cultura e pela racionalidade.

Situações de stress sempre existirão na vida de todo mundo e é importante ter ferramentas de enfrentamento eficazes para se recompor e se livrar das conseqüências negativas da exposição demasiada ao stress (leia também sobre Resiliência no BLOG).  Mas podemos fazer mais do que isso. Podemos estabelecer previamente rotinas de resposta a situações que possam ser previstas.

Por exemplo: não acontece com você de determinadas pessoas terem uma capacidade enorme de te desequilibrar? É como se elas soubessem justamente o que dizer ou fazer para te irritar. E provavelmente é exatamente isso que acontece… ela sabe. E aí você acaba jogando o jogo dela e torna-se vulnerável ao seu ataque.

O que estamos propondo é justamente o oposto. Se uma situação é minimamente previsível, não há porque continuar se deixando ser vulnerável à suas conseqüências, pelo menos não às negativas. No exemplo da pessoa irritante acima, seria investir na desconstrução do padrão que se estabeleceu entre vocês. Se você sabe como ela vai fazer para te irritar, simplesmente não deixe que isso te irrite! E assim o jogo não será mais o dela…

É fácil fazer isso? É claro que não! Mas vale a pena porque é a maneira de você estar mais consciente e apto a responder sobre as condições que se impõe a você, ou seja, você se torna responsável pela sua vida e não mais vítima das conseqüências. Inúmeras são as situações onde é possível fazer um movimento nesse sentido: em casa, no trabalho, no trânsito, na faculdade, no lazer, etc.

Pense em qualquer situação onde exista alguém interagindo com qualquer coisa e haverá alí um exemplo de uma situação passível de ser melhorada. Sempre é possível se desenvolver e melhorar, basta querer. A reestruturação cognitiva (ferramenta clínica da abordagem cognitivo comportamental) é um caminho possível e pragmático neste sentido, onde o sujeito amparado por um profissional coloca a si e as suas relações com o mundo sob perspectiva, ajudando-o a entender as cadeias funcionais e também a tomar decisões melhores para a sua vida.

Patrícia Mantovani e Flávio Mesquita

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Juçara permalink
    13/11/2009 13:36

    É incrivel como as pessoas sabem onde é o “nosso calo” e pisam de próposito.E, se vc não souber se defender,os pisões serão cada vez maiores e mais pesados.
    O díficil é fazer ouvido de mercador: ouvir só o que interessa e deletar o lixo. Mas, as vezes, mesmo deletando o estrago já foi feito. Vc ouviu besteira e aquilo te “pegou em cheio”, te magoou. E da-lhe engolir o sapo e remoer saliva.
    Mta terapia nessa tentativa de “auto preservação”. Se as pessoas fossem + compreensivas,o mundo seria muuuuuuuuuuuuuito melhor, hein…
    Bjs, Juçara

    • Patrícia Mantovani permalink*
      13/11/2009 17:22

      Sim, infelizmente as pessoas praticam muito pouco a assertividade e na busca exacerbada pelo seu próprio bem, não se preocupam em colocar-se no lugar do outro. Se as pessoas tivessem consciência e cuidado com seu próximo e simplesmente fizessem o exercício de refletir e empaticamente falasse com o outro, tudo seria muito melhor mesmo… pois praticamente “tudo” pode ser dito, o grande problema está em COMO será dito.
      Concordo com você, as pessoas percebem nossos pontos fracos… por isso é tão importante o auto conhecimento, para aprender a se defender, colocando limites e não ficando vulnerável a situações que apenas trarão desgaste e em nada contribuirão para o bem estar.
      Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: